domingo, 10 de fevereiro de 2013


MUNDO IMATURO

Nem tudo se perde, nem tudo se ganha
Pouco se discerne, muito se reclama
Nem tudo traz vida, nem tudo dá fruto
Pouco se conquista, que mundo imaturo
Muitos ainda trabalham com material sujo, fétido e muito bruto
A escassez de amor é algo triste, a falta de Deus: um grande absurdo
Aos dias atuais, sangue, dor , macabros rituais
Somos oferendas, carne morta, animais...
Como se tudo que nos bastasse fosse apenas viver de ilusão
Sobrevivemos com o grito aprisionado na garganta 
Que aperta o coração

Um comentário:

  1. Feliz em conhecer seu blog poeta, encantada em passear por seus versos, adorei!! Em especial esse poema, realista e concreto. Parabéns, bjs

    ResponderExcluir